Entrevista Casal Natureba

[vc_row][vc_column][vc_column_text]Cris Mallmann nasceu em Santa Maria, interior do Rio Grande do Sul e desde criança teve muito contato com a natureza, devido ao fácil acesso aos sítios de seus familiares, onde desfrutou de uma infância privilegiada, cercada de todo aquele verde, rios, animais e alimentos naturais.

Natan Fronza nasceu no interior de São Paulo, mas passou boa parte da infância viajando para o interior de Santa Catarina para visitar sua família, lá também teve acesso à natureza desde cedo, apesar de preferir o videogame e posteriormente a música.

 “Crescemos no interior, onde nossas famílias preparavam o próprio alimento sempre que possível, consequentemente consumíamos o mínimo de industrializados, e então sentávamos à mesa para saborear uma refeição fresquinha/quentinha. 

Consideramos  extremamente importante, ter este cuidado desde a escolha dos ingredientes, no preparo, e também na hora da sentar, respirar, agradecer e nutrir o corpo com o alimento que preparamos.

[/vc_column_text][vc_single_image image=”3677″ img_size=”full” alignment=”center”][vc_column_text]Nos conhecemos em 2011, em São Paulo-SP e logo depois iniciamos juntos uma busca por resgatar um pouco do que vivemos no interior. Começamos por preparar a maior parte do nosso alimento em casa, e também a pesquisar sobre a procedência de cada ingrediente, consequentemente nos levando a substituir boa parte deles, especialmente todos os de origem animal, logo depois substituindo por orgânicos e estudando mais a fundo a funcionalidade e benefícios de cada um deles.

 Antes de mudar para São Paulo, há quase 6 anos, praticamente não consumia industrializados, processados, congelados, etc. Em pouco tempo aqui, praticando esta alimentação “convencional” e vivendo de maneira extremamente estressante, meu organismo “surtou”.

Precisei refletir sobre e percebi que seria necessário resgatar o que vivi em minha infância/adolescência e adaptar para a vida em São Paulo.

Há aproximadamente 4 anos decidimos morar juntos, o que tornou mais “viável” esta nova fase, onde preparávamos o que consumíamos e fazíamos tudo que podíamos juntos. Começamos por substituir os refinados por integrais. Já não consumíamos refrigerantes e coisas do tipo. Cortamos o álcool, o Natan cortou o cigarro. Logo depois cortamos os ingredientes de origem animal. Larguei meu emprego super estressante, de domingo a domingo com uma pausa de apenas 15 minutos para o almoço congelado, e então surgiu o Casal Natureba.[/vc_column_text][vc_single_image image=”3691″ img_size=”full” alignment=”center”][vc_column_text]Quando falamos sobre nutrir nosso corpo, é importante destacar que além de uma boa alimentação, é necessário se expor ao sol (de maneira adequada, que varia de acordo com cada organismo), dormir bem, e é claro, a pratica de atividades físicas regulares.

Então começamos a frequentar a academia diariamente (pela manhã), inicialmente ao ar livre no Parque do Ibirapuera.  Acordávamos bem cedo, fazíamos nosso “ritual matinal” (água com limão e sal rosa em jejum, breve meditação, café da manhã/pré-treino) e por último preparávamos nosso Suco Verde (que íamos tomando no caminho).

Como morávamos relativamente perto do parque, aproveitávamos para ir caminhando (aproximadamente 40 minutos na ida e 40 na volta). O ambiente fazia muita diferença, pois é um espaço “isolado” em meio as árvores, uma mini floresta, onde algumas pessoas improvisaram uma academia, onde tínhamos auxílio de um profissional (detalhe muito importante). Nesta academia conhecemos nosso professor de Yoga e começamos a praticar regularmente.

Posteriormente, devido ao nosso novo endereço, tivemos que mudar um pouco nossa rotina, trocando a academia do parque pela academia do nosso condomínio, e sempre que possível, caminhadas e meditação em um novo parque mais próximo de casa.

Não demorou muito para sentir o quanto “o corpo agradecia” a esta mudança de hábitos, porém, ainda havia a necessidade de estudar o “por quê” de tudo isso. Quanto mais estudávamos, mais certeza tínhamos sobre a irresponsabilidade e falta de ética por trás da indústria alimentícia.[/vc_column_text][vc_single_image image=”3675″ img_size=”full” alignment=”center”][vc_column_text]Quando criança já sabia de onde vinha a maioria dos alimentos. Sofria e não entendia o porquê animais eram mortos, presenciei várias vezes o sofrimento e morte deles. Era horrível, mas não sabia que viver sem aquilo era possível, não existia o termo vegetarianismo ou veganismo em minha vida há 20/30 anos atrás.

Quando descobri primeiramente o vegetarianismo, não pensei duas vezes, finalmente comecei a entender o que me aterrorizava tanto na infância e para os outros era e ainda é tão normal. Quando anos depois descobri o Veganismo então tudo fez sentido.

Motivada pelo amor aos animais (o que na verdade já é motivo o suficiente para nós) e também pela curiosidade em relação à como a alimentação é capaz de curar ou adoecer nosso corpo, não pude deixar de notar o excesso de conservantes e produtos químicos usados para fazer com que uma secreção animal (no caso do leite, por exemplo) permaneça “intacto” por muito tempo em uma prateleira de supermercado, e que produzi-los em larga escala não parecia ser uma boa ideia.[/vc_column_text][vc_single_image image=”3690″ img_size=”full”][vc_column_text]Quando começamos esta busca, não conseguimos parar apenas na alimentação, com  alimentos preparados em casa, evitando desperdícios, com ingredientes sempre orgânicos, de preferência direto do produtor, da maneira mais sustentável possível. Temos este cuidado também em relação aos cosméticos, embalagens (redução de lixo), roupas/calçados, higiene/limpeza (preparamos a maior parte dos nossos produtos de higiene e limpeza em casa, com apenas 3 ingredientes naturais, vinagre de maçã, bicarbonato de sódio e óleo de coco),  e tudo o que estiver ao nosso alcance.
 
Outro passo importante foi estruturar uma mini horta na sala de nosso apartamento, que fica no 7º andar. O processo foi lento e gradual, porém, a sensação é indescritível e também nos leva novamente à infância. Além de, obviamente, nos fornecer alimentos orgânicos de altíssima qualidade, alguns a curto prazo, como temperos, ervas, verduras e PANC’s, e outros a longo prazo como árvores frutíferas entre outros, como a bucha vegetal. 

 Cada vez mais descobrindo um mundo novo relacionado a alimentação, estilo de vida e expansão de consciência que foi “tapando vários buracos” em minha vida. 

Tudo o que já sentia e vivia de alguma maneira, mas não sabia que existia, foi ocupando seu lugar e me completando, me definindo. Orgânicos, Sustentabilidade, Alimento no lugar de medicamento, Nutrição (corpo, mente e alma), Física Quântica.

Sou hoje uma estudante em tempo integral, autodidata em todos estes assuntos. Temos um canal no YouTube (http://www.youtube.com/casalnatureba) e ministramos palestras de diversos assuntos (Alimentação, Estilo de Vida) . Cada dia mais apaixonada por cada coisa nova que descubro e experimento!  (Cris Mallmann)

Conheça mais !:  http://www.casalnatureba.com/[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row][vc_row][vc_column][/vc_column][/vc_row]

Comentários

Comentário

Já conhece o grupo exclusivo de performance #AtletaVeg?

Pri Kondo

Eu sou a Pri! Sou praticante de musculação há mais de 15 anos e minha história com esportes começou quando troquei as tardes de TV por atividades físicas variadas, já fiz capoeira, dança (das mais variadas) e atualmente sou apaixonada por pole dance. Por incrível que pareça, amo puxar um ferrinho ! Na minha trajetória, já passei por milhares de dietas...até que me dar conta, que a base da melhor alimentação está no equilíbrio mente, corpo e espírito! Meu processo de aprendizado me levou à consciência de que sou responsável em cuidar da nossa casa, nada mais que a Terra. A consequência desse processo foi a diminuição gradual do consumo de produtos de origem animal ! Assim como vocês estou no processo de aprendizado :) !

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *